Terça-feira, 24 de Janeiro de 2012
Passos só tem um caminho: tirar dinheiro à EDP

 

(...) O pior é saber que este desacerto tem sido protegido pelo poder político. A EDP, como se sabe, é um dos Nenucos fofos da nossa classe política. O dr. Catroga e a dr. Cardona que o digam.

Ora, para piorar a situação, o anterior governo inundou a EDP & Cia com subsídios verdes para a produção da energia mais ineficiente e cara, a saber, a energia das ventoinhas que tomaram conta dos vales e montes. Resultado? Em 2011, numa factura média mensal de 41 euros, um consumidor doméstico pagou apenas 14 euros em energia consumida (34%) e deu mais uns trocos para os custos da rede de transporte e distribuição (22%) . Para onde foram os outros 44% da conta? (...)



Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/passos-so-tem-um-caminho-tirar-dinheiro-a-edp=f700931#ixzz1kMk6YOFF



por Henrique Raposo às 10:20 | link | partilhar

Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2012
Olha, o BE já aplica o novo código laboral

(...) As redacções deste jogo de futebol são as mesmas redacções que não conseguem criar uma linha de comparaçao entre as leis portuguesas e as leis de outros países europeus. Um exemplo: a média de indemnização na Europa está entre os 8 e 12 dias por ano de trabalho. E até existem países que nem sequer têm este limite mínimo. Nós, com a nova lei ultramegaliberal, ainda teremos 20 dias por ano (x12). Ora, como não existe este esforço pela busca de factos que comparem Portugal com outros países europeus, a narrativa dos nossos média fica presa num sufocante provincianismo, que nem sequer chega a Badajoz, quanto mais a Berlim, Amesterdão ou Copenhaga. Porquê? Bom, a julgar pelo que tenho lido e ouvido, parece que as leis laborais destes países do Norte são, ora essa, "retrocessos civilizacionais". E é aqui que está o provincianismo: a malta vê um regresso a Salazar onde existe apenas umaeuropeização de Portugal. É assim a esquerda portuguesa, sempre dependente do fantasma de Salazar (...)

 



Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/olha-o-be-ja-aplica-o-novo-codigo-laboral=f700769#ixzz1kH1zEzrA



por Henrique Raposo às 10:53 | link | partilhar

O jornalismo português exige "independentes" (isto é, não-boys), mas depois goza-por-sistema com o independente Álvaro Santos Pereira

Da série "coisas que não entendo". 



por Henrique Raposo às 10:00 | link | partilhar

O double standard do jornalismo português (ou como a esquerda é a filha, e a direita a enteada)

Quando foi nomeado para o CCB, Mega Ferreira era um homem de cultura. 

Ao ser nomeado para o CCB, Vasco Graça Moura é um boy. 



por Henrique Raposo às 09:56 | link | partilhar

Quantos mortos ainda levantam a sua reforma?

É a pergunta que apetece fazer depois de ver a capa do Negócios:

 

"111 mil filhos fictícios" para enganar o IRS. 



por Henrique Raposo às 09:32 | link | partilhar

Domingo, 22 de Janeiro de 2012
Obrigado Zorrinho, obrigado Sócrates, obrigado Mexia, obrigado Pinho

"Em 2011, numa factura média mensal de 41 euros, um consumidor doméstico pagava apenas 14 euros em energia consumida (34%)".  

 

i, 18 de janeiro. 



por Henrique Raposo às 14:52 | link | partilhar

Olha, o BE é um neoliberal-com-caviar


por Henrique Raposo às 10:32 | link | partilhar

Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012
Sim, coligação de esquerda

 

Mail de leitor: "sou de esquerda e foi preciso ler um direitolas para ver defendida a necessidade de uma coligação de esquerda".

 

De nada, meu caro.

 

Ass: o direitolas.



por Henrique Raposo às 17:11 | link | partilhar

Não proteger a propriedade intelectual é uma coisa, vá, chinesa. Aliás, bem vistas as coisas, a protecção da propriedade intelectual é a chave, há muitos séculos, da nossa vidinha

O Jacinto e o Rodrigo explicam bem a coisa. 

 



por Henrique Raposo às 15:34 | link | partilhar

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2012
O patrão é sempre um bandido (e eu só passo senhas de almoço)

 

(... ) Mas, pronto, a vidinha lá continuou. Passei a dedicar ainda mais tempo aos telefonemas contra o eurofascismo e à leitura de coisas muito interessantes como os "Protocolos dos Sábios do Simão". Adeus "Zé das senhas", olá "Zé dos livros".

Não estava a ser mau, mas, de repente, aparece este governo a dizer que eu tenho de mudar de posto de trabalho, ou que o meu patrão pode despedir-me dado que eu já não faço nada! Mas que é isto? Eu tenho o direito a não fazer nada no meu posto de trabalho, porque o posto de trabalho é que manda (...)



Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/o-patrao-e-sempre-um-bandido-pa-e-eu-so-passo-senhas-de-almoco=f700188#ixzz1jtMqGl2b



por Henrique Raposo às 10:22 | link | partilhar

Catroga/Cardona é a dupla mais dramática para a pátria desde esse sucesso chamado Tahar/Paredão



por Henrique Raposo às 09:03 | link | partilhar

Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012
O Deus de "Odisseia no Espaço"

 

(...) Porém, João Lopes acerta num ponto essencial: 2001 deixa-nos inquietos, porque aponta para algo que não conseguimos compreender através de uma razão meramente maquinal. O problema da argumentação só vem depois: "a identidade humana, pelo menos tal como a vivemos e pensamos na agitação tecnológica das últimas décadas, já não existe enraizada numa noção estável ou segura de natureza. Em boa verdade, o 'natural' é uma categoria em permanente conversão". Com o devido respeito, este raciocínio está errado (...)

Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/o-deus-de-odisseia-no-espaco=f699588#ixzz1jnjnJ7N9



por Henrique Raposo às 11:39 | link | partilhar

Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012
True

Daniel Bessa afirmou que perante este acordo, "não sei quem admirar mais: se a persistência do ministro da Economia ou a coragem de João Proença, que aceitou algumas das medidas" do acordo de concertação social.

 

 

 

 



por Henrique Raposo às 18:22 | link | partilhar

Churchill estava errado

Henrique Raposo, A Tempo e a Desmodo - Churchill estava errado

 

 

(...) o meu instinto ou, se quiserem, o meu espelho moral leva-me a aceitar a tese de Churchill sobre o apaziguamento. É epidérmico. Sim, parece que as democracias ocidentais revelaram uma enorme cobardia. Sim, parece que o pacifismo foi uma doença moral que impediu a acção perante o mal personificado em Hitler. Sucede que este instinto moral pode estar errado. A epiderme nem sempre é muito esperta (...) A glória de Churchill só apareceu durante, e não antes da guerra. Aí, sim, a sua lenda casa com a história (...)

Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/churchill-estava-errado=f699581#ixzz1jhkige10





por Henrique Raposo às 10:04 | link | partilhar

Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012
Não, pá, não façam dinheiro com o frango assado. A malta aqui em Lisboa diz que isso é pindérico, tão pindérico como fazer dinheiro com o pastel de nata



por Henrique Raposo às 19:54 | link | partilhar

autores
Henrique Raposo
Rui Ramos
Livros






Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009