Segunda-feira, 29 de Agosto de 2011
Da série "um sujeito que interessa"

O blog de Pedro Pita Barros



por Henrique Raposo às 11:38 | link | partilhar

Querem federalismo europeu?

Então, vamos começar a discussão no sítio certo. 

 

 

É aqui

 

 

e não ali

 



por Henrique Raposo às 11:21 | link | partilhar

Soluções do El Zorrito

 

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...)

 

Mas, dado que Portugal é um país mui reaccionário e pouco amigo de humores revolucionários, não existem sete Américos Amorim à nossa disposição. Neste sentido, temos de fazer uma filinha pirilau com alguns milionários menores: Soares dos Santos (1.9 mil milhões), Belmiro (1.2), Mello (1.06), Alves Ribeiro (700 mil euros), Perpétua Bordalo da Silva (600 mil), Violas (600 mil), Espírito Santo (600 mil), José de Mello (600 mil). Uhmm!? Esta matemática revolucionária não está a correr bem, camaradas. Esta filinha pirilau dos capitalistas mais riscos de Portugal só rende uns 6 mil milhões de euros. Isto nem sequer é metade do orçamento da saúde. Que país tão reaccionário, pá.


(...)


por Henrique Raposo às 09:58 | link | partilhar

'tá quase

Dívida do SNS: 2.72 mil milhões de euros.

Fortuna do Amoriim: 2.58 mil milhões de euros.



por Henrique Raposo às 08:44 | link | partilhar

Domingo, 28 de Agosto de 2011
Quando é que o PS socrático morre?

Seguro tem um problema: na net, nos jornais e, pior, no parlamento, a voz do PS continua a ser a voz de Sócrates. Por uma mera questão de higiene, o dr. Seguro devia tratar deste assunto.



por Henrique Raposo às 20:35 | link | partilhar

As nomeações e o populismo fácil

1. O que é mau jornalismo? É fazer uma peça que diz assim "ai, o governo já fez 500 nomeações". E pronto. Já está.

 

2. Ora, este valor só tem valor se for comparado com o governo anterior, com os governos anteriores. Os números têm de aparecer em comparação. Quantas nomeações fez Sócrates em dois meses? Mais: importa ir ver ministério a ministério. Todos os ministros atuais foram claros: "cortámos nas nomeações". Portanto, das duas uma: ou os ministros estão a mentir, ou estamos a ser alimentados por um jornalismo populista que não quer fazer o trabalho de casa. E, já agora, boa sorte nessa procura das nomeações do governo Sócrates.

 

3. Nós estamos perante o governo mais poupado ao nível das nomeações e gastos (ex.: Cristas tirou 5 motoristas ao ministério da agricultura. 5, cinco), mas este mesmo governo está a ser castigado pelo nível de transparência inédito que colocou à disposição de toda a gente. Aliás, é extraordinário que os jornalistas que dizem "olhem, olhem tantas nomeações" não façam - depois - o raciocínio lógico: esta transparência é inédita na nossa democracia. Sócrates, Guterres e Cavaco não deixavam ver assim as suas nomeações. E, partir de agora, nenhum governo vai conseguir esconder as suas nomeações. Portanto, no meio deste populismo fácil, Portugal cresceu uns pontos do ponto de vista institucional. Convinha sair da maionese do populismo para perceber estes pormenores.

 

4. O pior de tudo? Este populismo fácil mete tudo no mesmo saco. Claro que o governo tem de fazer nomeações de pessoas de confiança. Chama-se governo. Chama-se governação democrática. Quem ganha nomeia pessoas de confiança. É assim aqui, nos EUA, na França, etc., etc. O problema da Era Sócrates não estava nos gabinetes, mas sim na nomeação de boys sem CV para cargos fora do governo (ANACOM, Instituto do Emprego, etc.). O governo é o governo, e deve ser gerido pelos boys. É lá que eles devem estar. O problema começa quando o governo começa a colonizar o Estado, a administração, as entidades reguladoras, as empresas públicas, etc. Donde as críticas justas à recente nomeação da direção da CGD, o grande erro de Passos a este nível.



por Henrique Raposo às 13:52 | link | partilhar

Os ricos (II)

1. À maneira bolchevique, podem roubar toda a riqueza do Amorim. Acho muito bem. Mas lembrem-se de uma coisa: toda a riqueza do Amorim não deve chegar para tapar o buraco da saúde. Atenção: não estou a falar da despesa total e anual do SNS, mas apenas das dívidas do SNS. Para a despesa toda do SNS, acho que era preciso roubar o Buffett ou coisa parecida. E, mesmo assim, esse pote americano só dava para um ou dois anos. E depois? Como era?

 

2. Toda esta conversa é uma forma (mais uma) para desviar a atenção do escândalo da realidade: o estado social, tal como o conhecemos, morreu. Perante a realidade, boa parte das esquerdas continuam a ver uma conspiração das direitas. Esta crise, no fundo, não passa de um efeito da maldade de uns capitalistas, de uns neoliberais, etc. Sem essa maldade, tudo estaria na paz do senhor. Que bom. Como é bom ter um coração puro e progressista e defensor dos pobres e inimigo dos ricos. Também posso ser? Deixam? Vá lá.



por Henrique Raposo às 12:43 | link | partilhar

Quando a ideologia entra na ciência, os resultados não podem ser bons

Isto é muito importante.



por Henrique Raposo às 09:57 | link | partilhar

Ai, os ricos

1. Nos EUA, um Amorim deve pagar uns 15% dos rendimentos. No máximo, 20%. Em Portugal paga 45%. Comparar as suas realidades é como coerente, para usar um eufemismo. 

 

2. Era muito mais honesto falar de uma nova tabela mais justa. Um casal que ganhe bem (ex.: 3000 cada) corre o risco de entrar no mesmo escalão de um Amorim. Esta é que é uma discussão séria. Essa conversa dos "ricos" é como a conversa dos "pobres": é um festival de preconceitos.



por Henrique Raposo às 09:36 | link | partilhar

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011
RDA

 

um retrato dessa esterilização comunista chamada República Democrática Alemã






por Henrique Raposo às 14:36 | link | partilhar

acabou o "interesse nacional" que apenas protegia interesses partidários e dos acionistas

Santa Troika, Helena Garrido



por Henrique Raposo às 14:29 | link | partilhar

Mano

 

Numa palavra: mano.



por Henrique Raposo às 13:56 | link | partilhar

NATO, Líbia

Encouragingly, the message from Washington has changed in recent days, with the new secretary of defence, Leon Panetta, praising NATO’s operation as an example of international cooperation. The success in Tripoli, along with the new-found will in London, Paris and other European capitals to assume greater responsibility for the security in its own neighbourhood, ought to give the Americans more reasons for optimism.


Tomas Valasek



por Henrique Raposo às 12:48 | link | partilhar

Os católicos e a política

 

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...)

 

Nesta prosa, intitulada "Pureza de Coração e Vida Política", Lucas Pires afirma que existem duas maneiras de um cristão lidar com a esfera política. A primeira passa por aceitar que os princípios e regras da esfera política são de "outro tipo" e que, por isso, o cristão só deve ter preocupações com a salvação da sua consciência. Ou seja, o cristão deve criar uma redoma à sua volta, retirando-se assim dos debates da Cidade. Nesta via, o cristão julga-se tão puro, que não quer sujar as mãos na realidade. "Sim, sou muito católico, mas não quero nada com a política, são todos iguais".

Como já perceberam, Francisco Lucas Pires critica esta primeira via, e defende uma alternativa.

 

(...)





por Henrique Raposo às 10:00 | link | partilhar

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2011
Rever

 

Há qualquer coisa de Peckinpah no trabalho de Bigelow. É o prazer de colocar os homens em situações de pressão, de stress, enviados em ambientes fechados. É a grandeza de abordar homens em concreto, deixando de lado o Humanismo típico daqueles-filmes-de-guerra-que-são-anti-guerra. É a segurança narrativa (flui, flui, flui). É contar as coisas através das imagens e do silêncio, e não através dos diálogos. 

 

 

 



por Henrique Raposo às 18:35 | link | partilhar

autores
Henrique Raposo
Rui Ramos
Livros






Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009