Quinta-feira, 30 de Abril de 2009
O regime que era uma pessoa

 

 

1. Este livro de Luís Nuno Rodrigues procura ser uma lente neutra e imparcial sobre o fim do Estado Novo e o início da III República. Para quem, como eu, não viveu este período, a publicação destes livros é essencial. São precisos mais.

 

2. Este Estado Novo onde Costa Gomes operava (um Estado Novo, digamos, tardio) não faz lembrar nenhum daqueles modernos sistemas políticos acabados em ‘ismo’. Ao invés, este Estado Novo faz-me lembrar o ambiente ditatorial da corte dos reis absolutistas.

O Estado Novo, tal como essas cortes do antigamente, girava em redor de intrigas palacianas. A política era a intriga. E o poder de Salazar advinha do facto de ser o único que sabia todas as intrigas, rumores, boatos e segredos. O regime não era uma ideologia ou um sistema institucional. O regime era um permanente equilíbrio alcoviteiro feito por Salazar. Com a queda de Salazar, Marcello não podia segurar o regime, porque o regime era Salazar. Esta fraqueza institucional é bem exemplificada por um dos momentos mais dramáticos relatados neste livro. Costa Gomes era Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas e, mesmo assim, recebeu os capitães do MFA (Costa Gomes concordava com as reivindicações corporativas do MFA). Marcello Caetano criticou essa posição. Em conversa com Marcello, Costa Gomes disse que não tinha recebido os capitães em instalações oficiais, mas na sua própria casa. “Ainda pior”, respondeu Caetano; “Ainda pior, não”, replicou Costa Gomes, acrescentando: “Em minha casa, recebo quem quero”. E Costa Gomes, enfrentando assim o Presidente do Conselho, manteve-se no seu cargo. Isto revela a fraqueza institucional de Marcello. E revela o pessoalismo permanente da cultura política portuguesa. Tivemos um regime durante quase meio século que assentava numa única pessoa.



por Henrique Raposo às 16:53 | link | partilhar

autores
Henrique Raposo
Rui Ramos
Livros






Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009