Quinta-feira, 30 de Junho de 2011
São os mesmos senhores que diziam que a execução orçamental estava ótima

Assis diz que corte no subsídio de Natal "suscita as máximas reservas"



por Henrique Raposo às 17:50 | link | partilhar

É do Peter Weir. Ainda não vi, mas já gosto



por Henrique Raposo às 10:36 | link | partilhar

O euro, a UE e o pensamento mágico

Henrique Raposo, A Tempo e a Desmodo - O euro, a UE e o pensamento mágico

 

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...) Ou seja, Constâncio pensava que o equilíbrio da Alemanha compensaria automaticamente o desequilíbrio de Portugal, tal como o desequilíbrio do Mississípi é compensado pelo equilíbrio do Texas ou Califórnia dentro dos EUA.

(...)
Agora, passados 10 anos, este pensamento mágico é dirigido para a chamada "união política da UE". O novo Santo Graal já não é o euro, mas a "união política da UE", ou "governação económica da UE". Parece que este upgradeda UE tem o poder para resolver, por artes mágicas, os problemas da economia portuguesa. (...)


por Henrique Raposo às 09:57 | link | partilhar

Quarta-feira, 29 de Junho de 2011
Bonifácio

 

Maria de Fátima Bonifácio é, cada vez mais, uma historiadora indispensável, com uma obra muito mais sólida do que alguns consagrados do costume.



por Henrique Raposo às 16:34 | link | partilhar

Convinha ler



por Henrique Raposo às 10:31 | link | partilhar

Olha, a direita malévola ajuda os jovens "precários"

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...)

 

Bom, quando perde este emprego, x não tem direito ao subsídio de desemprego - apesar de ter descontado como qualquer outro trabalhador. Ou seja, o jovem x é lixado pela lei laboral (...) e depois também é lixado pela segurança social. Agora, esta injustiça é combatida através da atribuição do subsídio de desemprego aos falsos recibos verdes. (...) Portanto, abaixo a direita malévola e inimiga dos trabalhadores!

 

 






por Henrique Raposo às 09:31 | link | partilhar

Fox memory (IV)


 

(...) E, atenção, a culpa não é apenas daquele-que-não-menciono-pelo-nome. Não foi João Cravinho quem inventou o pesadelo das SCUT? Ou será que as SCUT saíram da diabólica cabeça da omnipresente Carmelinda Pereira? Não foi Vítor Constâncio quem inventou a 'teoria' económica que validou o desastre da última década ("com o euro não voltaremos a ter problemas na balança de pagamentos")? Ou será que a criação deste portento teórico é da responsabilidade do ubíquo Garcia Pereira? (...)



por Henrique Raposo às 09:21 | link | partilhar

Terça-feira, 28 de Junho de 2011
Eu gostava muito de ser anarco-capitalista

1. Assim estava sempre fora do mundo, e assim tinha sempre ângulo perfeito sobre o poder, fosse ele qual fosse. Para o anarco-capitalista, a realidade está sempre errada. E esse pedestal, de facto, dava-me muito jeito para escrever.

 

2. O conservador não é socialista. Sim, não concorda com os anarco-capitalistas, mas, apesar dessa blasfémia, não é de esquerda.



por Henrique Raposo às 20:38 | link | partilhar

O retrato-robô de Sócrates

 

Henrique Raposo, A Tempo e a Desmodo - O retrato-robô de Sócrates

 

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...)

 

E, como ficou evidente ao longo do socratismo, estas ilusões estão fora do alcance do debate racional baseado em números, factos e argumentos. No fundo, estamos perante "um molde mental que de algum modo misterioso é indiferente à verdade", um molde utópico marcado pela "necessidade metafísica que leva à aceitação de absurdos não a despeito da sua absurdidade mas por causa dela". Então, este livro é ou não é o retrato-robô de Sócrates?



por Henrique Raposo às 10:13 | link | partilhar

Segunda-feira, 27 de Junho de 2011
O BE e a direita de novembro

O BE - por causa disto - tem a chave para o fim desta direita de novembro.



por Henrique Raposo às 14:55 | link | partilhar

Santos Pereira & Lains

Álvaro Santos Pereira e Pedro Lains, "From an agrarian society to the knowledge economy: Portugal, 1950-2010", Working Papers in Economic History, Universidad Carlos III, 2010. Aqui



por Henrique Raposo às 14:30 | link | partilhar

O PS precisa de encontrar 1989

(...) Neste sentido, a questão mais importante do actual cenário é só uma: o PS vai continuar a não ter uma narrativa anti-UE? O PS vai honrar aquilo que assinou? Se tudo correr bem, o europeísmo vencerá no Largo do Rato, será feito o funeral do velho socialismo, e surgirá um PS ligado à flexibilidade da social-democracia nórdica. Neste cenário, o PS não faltará à sua palavra e Portugal alcançará um novo '1989', com Passos no lugar de Cavaco e com um John Doe no lugar de Constâncio. Se tudo correr mal (...)



por Henrique Raposo às 12:12 | link | partilhar

Judt, um autor que o PS precisa de ler

 

"…he wants to find why the outrages of modern capitalism are met by hollow clichés on the Left. If you read Ill Fares the Land side by side with this year’s Labour Party Manifesto, Judt’s task is clear: the word “progressive” spreading like an oil slick over the manifesto, “hard choices” which are never specified, “community” modelled as a nursery school of well-behaved toddlers. Judt’s point is that something has gone wrong within the Left for this linguistic garbage to appear as “critical discourse" (...) “Hard choices” means taking equality seriously, as the greatest good for the greatest number; if you face the choice, as we do today in Britain, of financing nuclear submarines or higher education, you declare than Britain is no longer a Great Power, you mothball the subs and educate your children. Above all, “community” means for Judt serious public conversation about differences which cannot be resolved, rather than the nice Labourite nursery school where consensus and “shared values” rule…Put another way, the Left’s role is to raise just these insoluble problems, rather than to act as society’s expert repair man (...)"

 

Richard Sennett, "What is to be done", TLS, 30 de Julho de 2010.



por Henrique Raposo às 11:57 | link | partilhar

Sua-Alteza-Professor-Doutor-Marcelo-Rebelo-de-Sousa é ridículo.

O professor criticou na TVI o ministro da Economia, que pediu para ser tratado pelo nome próprio. “Imagino o motorista: Álvaro, vamos para o ministério ou bebemos um café?”



por Henrique Raposo às 10:30 | link | partilhar

A solução da esquerda: odiar Merkel e a Alemanha

 

Coluna de hoje do Expresso online:

 

(...)

 

A extrema-esquerda ataca directamente a UE, questionando a utilidade desta relíquia do século passado. Como não tem uma narrativa anti-UE , o PS refugia-se num ódio fácil contra a Alemanha e contra Merkel. Nos anos 80, os socialistas adoravam odiar Thatcher. Aliás, pensavam que ter um pensamento sobre a UE era o mesmo que xingar Thatcher.

 

(...)



por Henrique Raposo às 09:45 | link | partilhar

autores
Henrique Raposo
Rui Ramos
Livros






Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009