Sábado, 31 de Outubro de 2009
Gosto

 

De Afonso Azevedo Neves

 



por Henrique Raposo às 14:28 | link | partilhar

Dead, dead, dead

Quantos mais escândalos serão precisos para que a malta entenda que o regime, tal como o conhecemos, está morto, e que precisa de mudanças institucionais? Não estou a falar em reformas, mas de mudanças de fundo. Esta legislatura tem poderes constitucionais: é tempo de os usar, como deve ser. Ex.: proibir sindicatos de magistrados. Há mais.

 

Fora da questão constitucional, é tempo de acabar com as golden shares e as empresas públicas, que são, como em qualquer parte do mundo, ninhos de corrupção. O intervencionismo estatal - seja onde for - gera corrupção. Seja aqui ou na Índia. Não é possível combater a corrupção mantendo a via socialista no Estado. Não dá. Se querem o Estado para ajudar as pessoas com prestações sociais, ok, mas isso não significa que o Estado deva ter empresas e golden shares. Estas empresas e parcelas douradas só ajudam quem tem o número de tlm do PM, seja ele qual for.



por Henrique Raposo às 13:05 | link | partilhar

Sexta-feira, 30 de Outubro de 2009
...

http://1.bp.blogspot.com/_bPQtzhUsHK0/SpQWK-Z3X6I/AAAAAAAABJk/yPBGH0_rAlQ/s200/pessoa-mensagem.JPG

 

 

http://multimedia.iol.pt/backoffice/oratvi/multimedia/imagem/id/12453810/350

 



por Henrique Raposo às 16:31 | link | partilhar

Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009
Um livro do caraças

 

 

Um livro que Obama deve ter debaixo da cama. Um livro que Ron Paul deve odiar. Um livro que os conservadores deviam ler para perceberem que Lincoln é um dos "nossos". Lincoln é tão grande como Churchill. Aliás, eu diria que Lincoln é maior do que Churchill. Espero que o Francisco Mendes da Silva me perdoe.



por Henrique Raposo às 17:38 | link | partilhar

A civilização, finalmente

Já somos um país moderno. Já temos uma estrela porno, que quer "fazer avançar o país" . Força, Erica. Vamos lá combater o défice na cama.  



por Henrique Raposo às 17:27 | link | partilhar

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009
Da política

Esquerdista bem humorado é contradição em termos.



por Henrique Raposo às 22:45 | link | partilhar

Conversa católica

Henrique Raposo: Brother baptista, na Bíblia, há alguma personagem que simbolize, vá, a "fuga da realidade", ou, se quiseres, aquele lirismo que tem dificuldade em lidar com a realidade?

 

Tiago Cavaco: Brother agnóstico, na Bíblia, não há espaço para idealistas.

 

Henrique Raposo: Ouvindo os católicos, ninguém diria isso.

 

Tiago Cavaco: isso só prova que eles não lêem a Bíblia.



por Henrique Raposo às 12:53 | link | partilhar

Católicos protestantes

Coisa boa desta polémica: ficámos a saber que os nossos católicos, afinal, lêem a Bíblia. Como queria Antero, a Reforma chegou cá, e nós nem demos por isso. 



por Henrique Raposo às 12:51 | link | partilhar

Boa palavra

Sindicatos de juízes devem ser abolidos.

 

Os nossos constitucionalistas andam bem acompanhados:

 

 



por Henrique Raposo às 11:43 | link | partilhar

Coppola no Rio

 

Legenda: BOPE jogando napalm na favela

 

Seu Lula, fique sabendo que o Brasil anda meio medieval. O bandido que mandou abater o helicóptero é idêntico aos cavaleiros medievais, aqueles que tinham sub-soberanias dentro dos reinos. Na era das trevas, o rei era apenas o primus inter pares. Na prisão, bebendo gim, e com guardas fazendo a sua pedicure, esse cavaleiro 'favelado' é quase tão soberano como você, Presidente Lula. A favela é a soberania dele. Quem mandou meter um helicóptero no espaço aéreo do moço? Aqui na Europa, seu Lula, os reis só conseguiram controlar essas soberanias mafiosas pela via da porrada. Se o cavaleiro erguia uma muralha, o rei começava logo a brincar de Guilherme Tell com canhões fumegantes e catapultas feéricas. Você tem de fazer o mesmo, Presidente. Experimente jogar napalm na favela, e mande o Coppola filmar o acto. Quando o negócio é beleza cinematográfica, olimpíada com napalm no cenário é bem melhor do que o Vietnã, seu Lula.



por Henrique Raposo às 11:18 | link | partilhar

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009
Ide, e escutai

 

 

E faz parte da banda sonora de um filme mui interessante. Hollywood até é uma boa professora de música.



por Henrique Raposo às 11:29 | link | partilhar

Lei da terra

Declaro que menos de 3-0 é empate.



por Henrique Raposo às 10:35 | link | partilhar

Patriots (II)

Até digo mais:

uma revolução pode ser um acto conservador, como foi o de 1776.



por Henrique Raposo às 10:22 | link | partilhar

Da memória: Saramago fez parte da ditadura do PCP

 

http://www.desesperadaesperanca.com/images/Vasco%20Pulido%20Valente%20Portugal.jpg

 

Crónica do Expresso: "As duas ditaduras"

 

... Em "Liberdade" ("O Independente"), podemos ler algo que Victor Cunha Rego escreveu em 1958: dentro do meio intelectual, "o grupo comunista exibe um nítido desejo de que a era do dr. Salazar não atinja o seu termo". Cunha Rego dava assim a entender que o PCP necessitava de Salazar, e a seguir explicava porquê. Nessa explicação, Cunha Rego foi profético em relação às ambições do PCP: "da ditadura da extrema-direita à ditadura da extrema-esquerda vai o salto de uma cobra"....

 

... Num ensaio republicado em "Portugal" (Alêtheia), Vasco Pulido Valente revelou a forma como a revista "O Tempo e o Modo" desarmadilhou essa chantagem do PCP. Bénard e Alçada protegeram os intelectuais que viviam encurralados entre as duas ditaduras, a ditadura política de Salazar e a ditadura intelectual de Cunhal. Nessa livre e frágil terra de ninguém, situada entre duas paredes autoritárias, a "O Tempo e o Modo" deu asas a figuras como Agustina, Sophia, Sena, Lourenço, etc., uma geração de intelectuais que "rejeitava simultaneamente a ditadura, o velho republicanismo jacobino e o PC". Por outras palavras, estes intelectuais recusaram submeter-se à chantagem do PCP: como defensores da liberdade, sabiam que Cunhal era tão autoritário como Salazar.



por Henrique Raposo às 09:46 | link | partilhar

Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009
Belo discurso de Cavaco, o único que parece viver na realidade

Ouvir aqui um enorme conjunto de disparates, meus, sobre o discurso de Cavaco.



por Henrique Raposo às 17:21 | link | partilhar

autores
Henrique Raposo
Rui Ramos
Livros






Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009